Super-heroína de si mesmo

17.11.2017 por Natália Borges

dsc_2494_001_12138904961.jpg

Hoje eu me encontrei com uma menina de trinta e poucos anos. Ela carrega no olhar o brilho de uma garotinha sonhadora, que gosta de lutar e vencer na vida. Mas por traz desse lindo olhar percebi que há sonhos reprimidos, desejos sufocados e ideias esquecidas. Continuar lendo “Super-heroína de si mesmo”

Anúncios

A colheita dos que são gratos

14.11.2017 por Natália Borges

p_20171102_075203-573522423.jpg
As vezes partir é árduo. A caminhada pode não ter sombra, mas seguir adiante é necessário. Enquanto você segue admira a paisagem árida e seca. Nos pés terra e pó, acima céu azul ardente. Nos caminhos vai se admirando galhos secos, cactos sobreviventes. No pensamento a saudade do que deixou para trás e a ansiedade do que irá encontrar adiante. Continuar lendo “A colheita dos que são gratos”

Reinventando caminho novo

09.10.2017 por Natália Borges

SAM_1463
A cada início eu recolho os pedaços e reinvento caminho novo. E sigo andante e vivo outra vez. Porque nem sempre a certeza que temos é suficiente para seguir caminho, porém ela nos leva nos mais altos pilares da vida. E mesmo sendo difícil nunca é fácil ou duvidoso desistir de nossas crenças, pois elas são a certeza de nossas experiências de vida e ser crente de Deus.

Continuar lendo “Reinventando caminho novo”

Desejos repreendidos

29.09.2017 por Natália Borges

20151102_105901

Pego o pensamento e saio por aí
Sem rumo, sem destino.
Sou assim meio andante.
Percorrer os elos da imaginação és um hobby atrevido.
Nessa caminhada apenas dois conselheiros:
A sombra que me guia a linha do horizonte,
O pensamento que me leva a lugares imagináveis.

Continuar lendo “Desejos repreendidos”

Contagio pela síndrome da gratidão

27.09.2017 por Natália Borges

 

post modelar

“Quanto mais a gente agradece, mas coisas boas acontecem”. Não é por acaso que essa frase já virou clichê de tão repetida que é no meu dia a dia. Não que a vida seja sempre boa, mas tão somente por aceitar as coisas como elas são já me faz forte.

Continuar lendo “Contagio pela síndrome da gratidão”

O prazer que vem da solidão

19.08.2017 Por Natália Borges

14725701_10205906997513104_7167756359183358015_n

Gosto do cheiro de mato e o vento a soprar no rosto. Daquelas coisas que faz a gente feliz sem fazer muito esforço. As pessoas costumam complicar a vida tentando acrescentar nela coisas supérfluas. Eu não, prefiro a simplicidade do campo, o cantar dos pássaros. Amo pisar no chão e sentir o pé tocar a terra. Continuar lendo “O prazer que vem da solidão”